O que é e para o que serve o PONTO DE EQUILIBRIO

Eu sei que o empresário, de forma geral, é avesso a informações, estudos e análises, preocupando-se mais com a parte de produção e atendimento ao cliente.

Foi isso que constatei nas 30 (trinta) empresas que fiz consultoria até hoje, nenhum empresário conhece BEM o que é PONTO DE EQUILÍBRIO, alguns sabiam apenas que é o ponto onde a empresa não tem lucro ou prejuízo.

A maioria dos empresários fala o seguinte:  tenho um bom faturamento, pago as contas, mas, no final do mês, não sobra dinheiro nenhum; isso quando não deixa de recolher os impostos e contribuições da empresa e colaboradores.

Isso acontece porque, simplesmente, não fatura o suficiente para ter lucro, na maioria das vezes atinge o PONTO DE EQUILÍBRIO ou tem prejuízo e não sabe.

Ponto de equilíbrio é o valor ou a quantidade de produtos / mercadorias / serviços que a empresa precisa vender para cobrir o custo dos produtos/mercadorias/serviços vendidos, as vendas.

No ponto de equilíbrio, a empresa não terá lucro nem prejuízo, ou seja, não importa o quanto você inclui de LUCRO em cada item que vende, o que manda, no final do mês, é saber o quanto o seu faturamento SUPEROU o valor do PONTO DE EQUILÍBRIO.

Pode acontecer de você mensurar um percentual de lucro, no produto que está vendendo de 10% e, no mês, após fechar o faturamento e fazer todos os relatórios (de vendas, Balanço, Análise Econômica / Financeira e de Rentabilidade, Estoque e outros) encontrar um LUCRO LÍQUIDO DE 12%, por exemplo.

Vamos estudar um pouco para entender melhor? Veja, detalhadamente, o gráfico abaixo.

Lembre-se que inserido na LINHA 3 ainda temos o CUSTO VARIÁVEL que corresponde ao material utilizado na produção, nos impostos e encargos financeiros (eventual).

Bom, você sabe que suas despesas operacionais fixas (administrativas, comerciais, financeiras e tributárias) mensais já estão totalmente em vigor assim que você começa um mês, certo?

Você sabe que terá, além dos salários e encargos sociais, o seu pró-labore, depreciação (da parte operacional), aluguel, água, energia, contador, material de escritório, de limpeza, etc. no valor total de X1.

Assim como sabe que terá todos os custos de produção fixos, tais como salários e encargos sociais, pró-labore (do sócio da produção, caso tenha), depreciação dos equipamentos, rateio do aluguel, água, energia, material de manutenção, de limpeza, etc. no valor total de X2.

Bom, entenda que você precisa faturar um determinado valor que, depois de retirado os impostos, custos variáveis (matéria prima, auxiliar e embalagem) e eventuais encargos financeiros que fazem parte do mark-up, o valor que sobra tem que ser o suficiente para COBRIR ou ZERAR os totais acima do X1 e X2.

Façamos um exemplo simples:

Digamos que o valor total das despesas operacionais fixas no mês seja de R$ 500,00.

Digamos que até o dia 9 do mês, tenhamos atingido o faturamento de R$ 1.000,00.

Vamos fazer o cálculo (hipotético) como exemplo:

Faturamento até o dia 09 do mês R$ 1.000,00
(-) impostos incidentes sobre o faturamento (variável) R$    100,00
(-) Encargos Financeiros incluso no mark-up (variável) R$       20,00
(-) Material utilizado nesta produção (variável) R$     380,00
(-) Despesas Operacionais fixas do MÊS R$     500,00
Total das deduções até o dia 09 do MÊS R$  1.000,00
LUCRO OU PREJUÍZO ATÉ O DIA 09 R$     ZERO

Consegui explicar? Considerando os dados acima, do exemplo, até o dia 09 do mês a empresa conseguiu PAGAR / GARANTIR o valor correspondente as DESPESAS OPERACIONAIS FIXAS, mas ainda não levou em consideração os CUSTOS FIXOS DA PRODUÇÃO.

Vamos ver outro exemplo, neste eu vou inserir o custo fixo da produção no total mensal de R$ 2.000,00.

Digamos (hipoteticamente) que a empresa, até o dia 20 do mês, o faturamento chegou a R$ 5.000,00.

Vamos fazer o cálculo (hipotético) como exemplo:

Faturamento até o dia 20 do mês R$ 5.000,00
(-) impostos incidentes sobre o faturamento (variável) R$     500,00
(-) Encargos Financeiros incluso no mark-up (variável) R$     100,00
(-) Material utilizado nesta produção (variável) R$  1.900,00
(-) Custos Fixos da produção no MÊS R$  2.000,00
(-) Despesas Operacionais fixas do MÊS R$     500,00
Total das deduções do MÊS R$   5.000,00
LUCRO OU PREJUÍZO ATÉ O DIA 20 R$     ZERO

Com este outro exemplo creio ter conseguido explicar que, no caso, a empresa, com o faturamento de R$ 5.000,00 até o dia 20 pagou, APENAS, os custos e despesas fixas do mês, bem como as variáveis correspondentes a este faturamento.

Você percebeu que mesmo que coloque um lucro líquido, em todos os produtos vendidos, de XX%, até que tenha cumprido o valor necessário do PONTO DE EQUILÍBRIO a empresa não teve LUCRO ALGUM, mas, também, NENHUM PREJUÍZO.

Somente após faturar a META MÍNIMA (que é igual ao PONTO DE EQUILÍBRIO) é que a empresa passa a ter LUCRO. Da mesma forma é que se a empresa não consegue faturar, no mês inteiro, o valor da META MÍNIMA terá, com certeza, PREJUÍZO no mês, decorrente das poucas vendas.

Considerando o mesmo cálculo acima, digamos que a empresa faturou R$ 10.000,00 no mês, vamos ver como fica?

Faturamento até o dia 30 do mês R$ 10.000,00
(-) impostos incidentes sobre o faturamento (variável) R$   1.000,00
(-) Encargos Financeiros incluso no mark-up (variável) R$      200,00
(-) Material utilizado nesta produção (variável) R$   3.800,00
(-) Custos Fixos da produção no MÊS R$   2.000,00
(-) Despesas Operacionais fixas do MÊS R$      500,00
Total das deduções do MÊS R$   7.500,00
LUCRO NO MÊS R$  2.500,00

Neste caso a empresa já teve R$ 2.500,00 de LUCRO LÍQUIDO no mês, chegando a 25% de LUCRO, mesmo que tenha inserido em seu mark-up apenas 10%.

Vamos ver outro cálculo, imaginando um faturamento de R$ 18.000,00?

Faturamento até o dia 30 do mês R$ 18.000,00
(-) impostos incidentes sobre o faturamento (variável) R$   1.800,00
(-) Encargos Financeiros incluso no mark-up (variável) R$      360,00
(-) Material utilizado nesta produção (variável) R$   6.840,00
(-) Custos Fixos da produção no MÊS R$   2.000,00
(-) Despesas Operacionais fixas do MÊS R$      500,00
Total das deduções do MÊS R$  11.500,00
LUCRO NO MÊS R$   6.500,00

Tivemos, então, neste caso, aproximadamente 36,12% de LUCRO LÍQUIDO no mês.

Percebam que em todos os casos demonstrados acima os únicos valores que mudam são os dos custos variáveis, pois refletem e são correspondentes ao faturamento dos produtos vendidos.

Outra informação que você precisa levar em consideração é que os CUSTOS VARIÁVEIS correspondentes aos produtos que AINDA estão no ESTOQUE (PRODUTOS ACABADOS) e aqueles que AINDA estão em elaboração (NÃO FORAM TERMINADOS, portanto são chamados de PRODUTOS EM ELABORAÇÃO), ficarão fazendo parte do ESTOQUE no final do mês e, consequentemente, inseridos no BALANCETE / BALANÇO do mês, na parte do ESTOQUE no ATIVO da empresa.

Dessa forma creio ter conseguido te informar que caso a sua empresa não consiga chegar na META MÍNIMA de faturamento (e é com este número que você tem que se preocupar) você terá PREJUÍZO CONTÁBIL e, provavelmente, DÉFICIT financeiro.

Ahhh falando nisso: se sobrou dinheiro na sua conta no final do mês não quer dizer que você teve LUCRO ou se faltou dinheiro você teve PREJUÍZO, uma coisa nada tem a ver com a outra.

A empresa pode ter LUCRO CONTÁBIL e DÉFICIT FINANCEIRO, ou seja, está faltando dinheiro no seu caixa e o contrário também é possível, ou seja, você ter um PREJUÍZO CONTÁBIL e ter um SUPERÁVIT FINANEIRO.

Até porque os valores dos encargos sociais sobre a folha de pagamento (de 65,21% nas empresas do simples nacional e 107,40% nas empresas do lucro presumido) e a depreciação dos seus equipamentos (em média 10% do valor do seu ativo fixo), que FAZEM PARTE DO SEU ORÇAMENTO E DO SEU PREÇO DE VENDA (se ainda não inseriu isso está fazendo completamente ERRADO), devem ser GUARDADOS em uma POUPANÇA ESPECIAL ou INVESTIMENTO à parte.

A planilha de orçamentos, custos e formação do venda (que você pode ver em http://sosempresarial.com.br/categoria-produto/comunicacao-visual-2/) contém, também, a aba do ponto de equilíbrio com 5 exemplos muito bem explicados.

Caso queira REALMENTE deixar a sua empresa 100% organizada veja o PACOTE COMPLETO, de todos os materiais e planilhas que aplico em minhas consultorias, no link: https://organizesuaempresacv.com.br/pacote-completo/  

Bom, agora é analisar, fazer um estudo, um planejamento, conhecer os números da sua empresa e começar a pensar em fazer o ponto de equilíbrio, além de, lógico, estabelecer uma META MÍNIMA de vendas para não ter prejuízo e saber, exatamente, “onde está pisando”.

Bom trabalho, bom planejamento, boas estratégias

Wilson Giglio

Consultor em Gestão Empresarial

Organizador de Empresas e Equipes

Skype: wilson.giglio1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima